Contabilidade e Matemática para Negócios e Concursos

sábado, 29 de dezembro de 2018

Questão 34 - Exame de Suficiência CFC 2018.1 - Custos Fixos

Uma indústria produz um único produto e adota a análise de regressão linear para estimar os custos indiretos de manutenção fixos e variáveis. Ela fundamenta-se em dados históricos da sua capacidade normal de produção e utiliza a seguinte Função de Regressão Amostral (FRA):

𝒀 = 𝜷̂ 𝟏 + 𝜷̂ 𝟐𝒙 + 𝒖̂ 

Onde:

𝒀 = total dos custos indiretos de manutenção.
𝜷̂ 𝟏 = intercepto.
𝜷̂ 𝟐 = coeficiente angular.
𝒙 = volume de produção em unidades do produto.
𝒖̂ = termo de erro aleatório.

É sabido que o setor da indústria passa por um momento de retração e a mesma vem produzindo, há vários meses, menos de 50% da capacidade normal, sem, no entanto, reduzir sua estrutura de custos fixos. No mês de maio de 2018, a indústria produziu 2.000 unidades de seu produto, equivalente a 40% da capacidade normal de produção. O total dos custos indiretos de manutenção incorridos no mesmo mês foi de R$ 1.700.000,00. Em sua última estimação baseada em uma série histórica com dados mensais de produção em nível de capacidade normal, a indústria encontrou 𝜷̂ 𝟏 = 𝟏. 𝟎𝟎𝟎. 𝟎𝟎𝟎 e 𝜷̂ 𝟐 = 𝟑𝟓𝟎, sendo estes dados utilizados para alocação de custos no mês de maio de 2018.

Considerando-se apenas as informações apresentadas e de acordo com a NBC TG 16 (R2) – Estoques, assinale, entre as opções a seguir, o valor dos custos indiretos de manutenção fixos não alocados aos produtos que deve ser reconhecido diretamente como despesa no mês de maio de 2018. 

A) R$ 0,00.
B) R$ 350.000,00.
C) R$ 600.000,00.
D) R$ 1.000.000,00.

Solução:

Embora seja verdade que se deve alocar aos produtos aqueles custos fixos do mês, não se pode aumentar consideravelmente o custo da unidade produzida em virtude da baixa produção ou ociosidade.

Conforme a  NBC TG 16 (R2), "... o valor do custo fixo alocado a cada unidade produzida não pode ser aumentado por causa de um baixo volume de produção ou ociosidade. Os custos fixos não alocados aos produtos devem ser reconhecidos diretamente como despesa no período em que são incorridos".

Assim, já sabemos que pelo fato de a produção do mês de maio ter sido de apenas 40% da produção normal e que não foi reduzido o custo fixo, parte dos R$ 1.700.000 terão que ser reconhecido como despesas.

Vamos encontrar cada valor a ser utilizado e aplicar na fórmula dada:

𝒀 = 𝜷̂ 𝟏 + 𝜷̂ 𝟐𝒙 + 𝒖̂ 


Onde:

𝒀 = 1.700.000.
𝜷̂ 𝟏 = 1.000.000.
𝜷̂ 𝟐 = 350.
𝒙 = 2.000 (40% do normal)
𝒖̂ = ?.

Quando falamos em regressão na estatística o parâmetro 𝜷̂ 𝟏 conforme a fórmula, é chamado intercepto ou coeficiente linear, representando o ponto em que a reta regressora corta o eixo dos y's, quando x = 0.

Detalhe: a questão diz que em sua última estimação baseada em uma série histórica com dados mensais de produção em nível de capacidade normal, a indústria encontrou
𝜷̂ 𝟏 = 𝟏. 𝟎𝟎𝟎. 𝟎𝟎𝟎. Isso representa o custo fixo.

Porém, conforme a norma, em vez desse 1.000.000, serão usados apenas 40% (400.000), que foi o percentual de unidades produzidas, sendo o restante reconhecido como despesa do período.

𝒀 = 𝜷̂ 𝟏 + 𝜷̂ 𝟐𝒙 + 𝒖̂ 
1.700.000 = 400.000 + 350 (2.000) + 𝒖̂ 
 𝒖̂ = 1.700.000 - 400.000 - 700.000
 𝒖̂ = 600.000

Alternativa C
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Postagens populares