Contabilidade e Matemática para Negócios e Concursos

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Tipos de dados brutos e ROL e conceito de variáveis

Começaremos por entender sobre variáveis e em seguida o que são dados brutos e como fazer um ROL

Variáveis

Um número de resultados possíveis será corresponde a cada fenômeno. Variável é, convencionalmente, o conjunto de resultados possíveis de um fenômeno.

Chamamos de variável quando ao menos há uma característica que possa ser observada ou medida nos elementos de uma população.

ROL
Exemplos:
1. Fenômeno “sexo” - Dois resultados possíveis, sexo masculino e sexo feminino;

2. Fenômeno “número de filhos” - Haverá um número de resultados possíveis expresso por números naturais: 0, 1, 2, 3, ..., n.

Variável Qualitativa - Tem seus valores expressos por atributos (qualidades ou origens). Exemplos: cor da pele, sexo, etc...

Variável Quantitativa - Tem seus valores expressos em números (salário, idade, etc..). Sendo quantitativa, então, se divide em discreta ou contínua.

As contagens ou enumerações dão origem a variáveis discretas e, as medições dão origem a variáveis contínuas.

Variável quantitativa discreta
Variável quantitativa contínua
Esse tipo de variável pode assumir somente valores pertencentes a um conjunto enumerável (valores inteiros).

Exemplo:
O número de alunos de uma escolha pode assumir qualquer um dos valores do conjunto = {1,2,3, 4, 5...,15, ...}, mas nunca valores como 2,5 ou 3,78, etc... portanto, é uma variável discreta.
Esse tipo de variável pode assumir qualquer valor dentro de dois limites definidos (intervalo de valores).

Exemplo:
O peso de atletas que foram escolhidos é uma variável contínua, pois um dos atletas pode pesar tanto 75 kg como 75,54 kg, etc... Ou seja, dentro desse intervalo de 75 e 75,54 kg, poderão haver outros atletas com por exemplo, 75,5 ou 75,45, etc.

Dados brutos

Na prática, uma série estatística, por estarem desorganizados, ainda não estão prontos para análise. Em virtude disso, são costumeiramente chamados de dados brutos e que precisam ser transformados em ROL.

Vamos imaginar que nessas tabelas, tenhamos representada as idades de uma turma de alunos de natação, onde, na primeira tabela, temos os dados de forma não organizadas, ou seja, DADOS BRUTOS, o que fica difícil para trabalharmos com eles assim. Então, é necessário que sejam organizados, transformados em dados ROL, como na segunda tabela.

9
7
6
6
4
10
4
6
7
8
10
12
14
11
12
5
11
7
5
6
8
10
11
13
6
14
5
8
8
6
5
6
8
10
11
14
10
13
10
12
10
8
6
7
8
10
12
14

Agora, com os dados organizado (ROL) como o da tabela do lado direito, será possível calcular a amplitude total que tem a fórmula AT = maior dado - menor dado.

AT = 14 - 4 = 10

ROL => chama-se assim a lista ordenada de uma série estatística, a qual pode ser crescente ou decrescente.

Frequência

 Frequência Relativa (fri) (%) - é obtida pela divisão da frequência simples da classe pelo número total dos elementos fri = fi/n;

Frequência Acumulada (Fi) - obtida da soma da frequência simples da classe com as frequências simples das classes antecedentes Fi = f1 + f2+ f3 + ...fn;

 Frequência Acumulada Relativa (Fri) (%) - resulta pela divisão da frequência acumulada da classe pelo número total dos elementos Fri = Fi/n. Sendo esses valores acrescentados à tabela original, ela passará a ser chamada de Distribuição de Frequências.

Atenção: No próximo artigo, temos a utilização dessas frequências, por isso memorize essas fórmulas.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Postagens populares