Contabilidade e Matemática para Negócios e Concursos

sábado, 20 de agosto de 2016

Demonstração de Fluxo de Caixa pelo Método Indireto - Exercício

Na Demonstração de Fluxo de Caixa pelo Método Indireto, após obtermos o Resultado Ajustado, sendo ele parte das atividades operacionais, passamos a analisar as contas do circulante (ativos e passivo), excetuando-se aquilo que é caixa, para com essa análise, ter a análise completa das atividades operacionais.



Posteriormente, vamos verificar a variação ocorrida no Ativo não circulante para obtermos o impacto no caixa das atividades de investimento.

Finalmente, vamos também analisar as variações das contas do Passivo não Circulante e também do Patrimônio Líquido, obtendo assim, o impacto que as variações dessas contas tenham causado no caixa.


Demonstração de Fluxo de Caixa pelo Método Indireto


Abaixo, começaremos o nosso longo exemplo pelo o que seria um exemplo de Balanço Patrimonial.

Balanço Patrimonial de 2014 e de 2015


 ATIVO PASSIVO 
 Circulante (Grupo)  Circulante (Grupo) 
2014201520142015
Caixa600,001.250,00Fornecedores5.000,007.350,00
Banco Conta Movimento1.400,002.200,00Contas a Pagar1.000,001.000,00
Títulos a ReceberSalários a Pagar
Estoques (Mercadorias)2.000,004.350,00Empréstimos a Pagar
 Não circulante (Grupo)  Não circulante (Grupo) 
Realizável a longo prazo (Sub Grupo) Exigível a Longo Prazo
Títulos a receberEmpréstimos a pagar9.000,009.900,00
Aplicações Financiras3.000,006.450,00Financiamentos a pagar
Imobilizado (Sub Grupo)Provisões
Máquinas & Equipamentos20.000,0020.000,00
(-) Depreciação Acumulada(2.000,00)
 Patrimônio Líquido  (Grupo) 
Capital social12.000,0013.000,00
(-) Capital a Integralizar0,00
Lucro Acumulado1.000,00
Total Ativo27.000,0032.250,00Total Passivo27.000,0032.250,00

Demonstração do Resultado de 2015


Receita6.350,00
(-) CMV(1.800,00)
Lucro Bruto4.550,00
(-) Despesas(4.000,00)
Gerais(1.100,00)
Depreciação(2.000,00)
Financeiras(900,00)
Receita Financeira450,00
Lucro Líquido1.000,00

Atenção: No Balanço Patrimonial, percebemos na conta Aplicações financeiras, que houve um aumento nessa conta de R$ 3.000 para R$ 6.450, sendo que, no DRE, a receita financeira só apresenta R$ 450. O que acontece aí é que, os 450 representam 15% que se referem à atualização do investimento de R$ 3.000 e que foi a resultado, sendo os outros R$ 3.000, um investimento que ocorreu posteriormente e que possivelmente saíram do caixa para ser investido. 

Outra observação a ser feita é na despesa financeira. Vamos tratar aqui como se ela fosse para ser paga somente junto com o principal em um período de longo prazo e por isso, ela aparece aumentando a conta empréstimos a pagar.

DMPL e DLPA de 2015

DMPL/DLPACapitalLucros Acumuladostotal
Saldo em 31/12/201412.000,000,0012.000,00
Aumento de Capital1.000,001.000,00
Lucro Líquido1.000,001.000,00
Saldo em 31/12/201513.000,001.000,0014.000,00

Normalmente seguimos esses passos:

1 - Determinar quais as contas do balanço patrimonial referem-se à atividade operacional e obter a variação no seu saldo. Exemplo: contas do ativo e passivo excetuando-se caixa e equivalentes de caixa;

2 - Obter na DRE o resultado do exercício antes dos tributos, ou seja,Lucro antes dos tributos sobre a renda;

3 - Analisar a composição do resultado para excluir o efeito de receitas e despesas de outras atividades;

4 - Analisar a composição do resultado para excluir o efeito de receitas e despesas que não afetaram o caixa.

Exemplo: Despesa de Depreciação, amortização, exaustão, ganhos ou perdas de participação societária.


Agora, como temos aí o Balanço Patrimonial de dois períodos, 2014 e 2015, vamos verificar a variação do caixa.


Ano de 2014 Ano de 2015 
Caixa600,00Caixa1.250,00
Banco1.400,00Banco2.200,00
Total2.000,00Total3.450,00
Variação de 2014 - 20151.450,00  

Após observarmos que houve uma variação positiva do caixa entre esses dois anos, vamos agora verificar o quanto desses R$ 1.450 vieram daquelas 3 atividades que envolvem o fluxo de caixa, ou seja, as atividades operacionais, de investimento e de financiamento.

Para isso, começamos pelo lucro líquido (olhar na DRE) e que devemos encontrar o lucro ajustado. Vamos fazer esse ajuste por causa daqueles fatos que influenciam no resultado, mas que ainda não interferiram no caixa, ou seja, que nem ingressaram e nem consumiram caixa.

1 - Análise das Atividades Operacionais


Lucro Liquido1.000,00
(+) Depreciação2.000,00
(+) Juros de empréstimo LP900,00
(-) Receita de Aplicação Financeira - LP(450,00)
Lucro Liquido Ajustado3.450,00

Após sabermos que o lucro ajustado é de R$ 3.450, nos resta agora, verificarmos nas contas do circulante (ativo e passivo) excetuando-se aquilo que é englobado por caixa (caixa, banco...) e observar se a alteração dessas contas aumentaram ou consumiram caixa.

Devemos olhar no Balanço, quais aquelas contas do circulante que foram alteradas e conforme sua natureza, saber se aumentaram ou diminuíram o caixa.


20142015VariaçãoEfeito no caixa
Mercadorias 2.000,004.350,002.350,00Diminuiu
Fornecedores5.000,007.350,002.350,00Aumentou

Agora, a partir do lucro líquido ajustado, somamos e ou subtraímos o resultado dessa variação das contas do circulante, excetuando-se o caixa e equivalentes de caixa.
  • O lucro líquido ajustado contribuiu para aumentar o caixa com 3.450,00.
  • A variação na conta mercadoria (devedora que aumentou) diminuiu o caixa em 2.350,00.
  • A variação da conta Fornecedores (credora que aumentou) aumentou o caixa em 2.350,00.
Partindo do lucro líquido ajustado seria:


Lucro Líquido Ajustado 3.450,00
(-) Variação/Mercadorias(2.350,00)
(+) Variação/Fornecedores2.350,00

Total
3.450,00

Dessa forma, a combinação desses 3 efeitos nos mostram que as atividades operacionais aumentaram o caixa em R$ 3.450.

2 - Análise das Atividades de Investimento


20142015VariaçãoEfeito no caixa
Aplicações Financeiras3.0006.4503.450 - 450Diminuiu 3.000

Havia na conta aplicações financeiras a quantia de R$ 3.000, aumentando para 6.450. No entanto, o aumento efetivo que impactou no caixa foi de R$ 3.000 e não 3.450, pois, esses R$ 450 se referem àquela Receita financeira que aumentou o resultado, mas, que ainda não foi recebida.

Então, as atividades de financiamento que efetivamente consumiram caixa foi em um valor de R$ 3.000.

3 - Análise das Atividades de Financiamento


20142015VariaçãoEfeito no caixa
Empréstimos 9.0009.900900 - 9000 (zero)
Capital Social12.00013.0001.000Aumentou  1.000

Parecido como o caso da receita, que foi subtraída do resultado, a despesa financeira de R$ 900 sobre o empréstimo também é contabilizada e levada a resultado, porém, ainda não desembolsada e por isso foi somada ao resultado e por isso esse valor com despesa financeira é anulado para efeito de lucro ajustado e não figura no fluxo de caixa. 

Já o Capital Social teve elevação de R$ 1.000 integralizado pelos sócios. Essa conta credora tendo variado para mais, aumenta o caixa porque aumentará as disponibilidades.

Como as outras atividades de financiamento se anularam, então, apenas esse R$ de 1.000 é aquele que impactou em aumento de caixa através das atividades de financiamento.

Com isso já podemos elaborar em definitivo o nosso Demonstrativo de Fluxo de Caixa pelo Método Indireto.


Demonstrativo de Fluxo de Caixa



AtividadesEntrada/saída de caixa em 2015
 Atividades Operacionais 
 Lucro ajustado 3.450
 Diminuição de Mercadorias (2.350)
 Aumento de Fornecedores 2.350
Entrada Líquida de Caixa das Atividades Operacionais3.450
 Atividades de Investimentos 
 Aumento de Aplicações (3.000)
 Saída Líquida de Caixa das Atividades de Investimento (3.000)
Atividades de Financiamento  
 Capital Social 1.000
 Entrada Líquida de Caixa das Atividades de Financiamentos 1.000
Aumento Líquido de Caixa e equivalente de Caixa no período 1.450
Caixa e equivalente no final do período 3.450
Caixa e equivalente no início do período 2.000
 Variação do Caixa e Equivalente 1.450



Para ajudar nesse exercício pode ser de boa ajuda a leitura da teoria sobre Demonstração de Fluxo de Caixa pelo Método Indireto

Praticando:

Questão do exame de Suficiência para Bacharel em Ciências Contábeis de 2011.1.

Questão 1

Uma sociedade empresária apresentou, no exercício de 2010, uma variação positiva no saldo de caixa e equivalentes de caixa no valor de R$18.000,00. Sabendo-se que o caixa gerado pelas atividades operacionais foi de R$28.000,00 e o caixa consumido pelas atividades de investimento foi de R$25.000,00, as atividades de financiamento:


a)     Geraram um caixa de R$21.0000,00.
b)     Consumiram um caixa de R$15.000,00.
c)     Consumiram um caixa de R$21.000,00.
d)     Geraram um caixa de R$15.000,00.


Resolução:

Variação de 18.000
Atividade operacional 28.000
Atividade Investimento (25.000)
Ativ. de Financiamento ?

28.000 – 25.000 + x = 18.000
X = 18.000 – 28.000 + 25.000
X = 15.000



Questão 2

O auditor realizou uma contagem física no caixa da empresa auditada. Considerando que nessa data o saldo anterior existente era de R$100.000,00 e, levando em consideração os eventos após a contagem, o CORRETO valor do saldo final do caixa da empresa é de:

Eventos:

-  Pagamento de duplicata de um determinado fornecedor, efetuado por meio de cheque no valor de R$57.000,00.
-  Recebimento de duplicatas em carteira no valor de R$72.000,00, acrescido de juros por atraso de 2%.
-  Pagamento em dinheiro de despesas diversas no valor de R$21.900,00.
-  Pagamento em dinheiro de serviços terceirizados no valor de R$51.000,00.

      a.  R$27.100,00.
b.    R$43.540,00.
c.    R$100.540,00.
d.    R$173.440,00.

Resolução:

Nesse caso, deve-se observar quais transações afetaram o caixa. Percebe-se que das 4 transações ocorridas, apenas a primeira, que foi em cheque e que supostamente tenha sido para uma data a frente não afetou o caixa.


Das outras 3 que afetaram o caixa, deve-se dar uma atenção maior à segunda transação, pois, além do recebimento dos R$ 72.000, houve também 2% sobre esse valor, recebido pela empresa.


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Postagens populares