Contabilidade e Matemática para Negócios e Concursos

domingo, 5 de junho de 2016

Custo de capital de terceiros

O Custo de capital de terceiros nada mais é do que aquele percentual de retorno exigido por quem coloca dinheiro em um negócio ou empresta ou financia algo.

Custo de capital de terceiros (Ki)


Para detectarmos o capital de Capital de terceiros devemos começar procurando nos empréstimos e financiamentos contraídos pela empresa para financiar suas ativos.

Esses empréstimos e financiamentos são aqueles passivos onerosos, ou seja, mesmo no seu curso normal, vai gerar juros e encargos para a empresa, diferentemente de uma aquisição por exemplo, de mercadoria de um fornecedor, onde nessa última só geraria algum tipo de ônus se houvesse algum atraso de pagamento ou alterações no pedido, o que não caracterizaria um passivo oneroso.

Para evitar se confundir, faça-se a pergunta: se pagar salários e impostos no prazo, mesmo assim vai gerar algum tipo de ônus? Se não vai, então isso também não é definido como passivo oneroso.

Uma das vantagens de utilizar o Ki é a de ter o benefício fiscal devido à dedutibilidade dos encargos financeiros com imposto de renda. Dessa forma, ao calcular o Custo de capital de terceiros, é permitido deduzir encargos com esse imposto, o que não acontece quando se trata de capital próprio.

Custo de capital de terceiros
Custo de capital de terceiros
Detalhes das fórmulas acima:

Na primeira, essa divisão para encontrarmos a taxa de custo, dar´se-á quando já tivermos sabendo o valor monetário dos juros, para dividir pelo passivo oneroso.

Na segundo fórmula, haverá duas situações:

a) esse Ki que multiplica o parêntese pode ser o valor monetário das despesas financeiras e, nesse caso, encontraremos o valor monetário com despesas financeiras após o IR.

b) Esse que Ki multiplica o parêntese pode ser aquela taxa sobre o empréstimo. Nesse caso, o seu resultado será a taxa real sobre o empréstimo, após o IR.

Outra observação: A despesa financeira líquida do IR observada no numerador da primeira fórmula, é nada mais que o cálculo da segunda fórmula, Então, veja essa relação entre citada, na questão abaixo.

Vejamos um exemplo:


Supondo que uma empresa verifique em seu passivo oneroso dívidas no valor R$ 200.000. Por conta desse passivo oneroso, perceba-se que há despesas financeiras anuais no valor de R$ 32.000. Supondo ainda que empresa é tributada pelo imposto de renda a uma alíquota de 40%.

Resolução:

Pode-se fazer um cálculo direto, apenas para se saber a Economia com Imposto de Renda:
Economia com Imposto de Renda = 32.000 * 40% = 12.800. Ficando para ser pago a título de despesa financeira o valor de R$ 19.200.

Ou podemos querer saber qual o custo de capital de terceiros utilizando a fórmula dada, onde, ou você poderia dividir as despesas financeiras já líquidas do imposto de renda pelo passivo oneroso, ou então usar a segunda opção da fórmula, como segue abaixo:

  • Ki (após IR) = 32.000 (antes do IR) * (1-i) / 200.000
  • Ki (após IR) = 32.000 * (1- 0,40) / 200.000
  • Ki (após IR) = 32.000 * 0,60 / 200.000
  • K(após IR) = 19.200 / 200.000
  • Ki (após IR) = 0,096 ou 9,6%.
Poderia observar esse percentual e fazer um comparativo com o percentual que seria na utilização do capital próprio.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Postagens populares