Contabilidade e Matemática para Negócios e Concursos

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Caixa mínimo operacional

O que é caixa? Por que deveremos administrá-lo? Como saber qual deve ser o seu mínimo operacional para que não tenhamos problemas financeiros?

Caixa e Equivalentes


A Lei das S/A ao mostrar Os grupos e subgrupos de contas que compõem o Balanço Patrimonial, faz isso conforme capacidade de liquidez de cada conta. No Ativo Circulante, percebemos que seus subgrupos começam pela subgrupo das disponibilidades.

Nesse subgrupo são classificados o dinheiro em caixa, valores em contas bancárias, aplicações financeiras de curtíssimo prazo que esteja disponíveis na data do balanço, além de numerários em trânsito.

O PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 (R1) fala sobre Equivalentes de Caixa dizendo o seguinte:

"Os equivalentes de caixa são mantidos com a finalidade de atender a compromissos de caixa de curto prazo e não para investimento ou outros fins. Para ser considerado equivalente de caixa, uma aplicação financeira deve ter conversibilidade imediata em um montante conhecido de caixa e estar sujeita a um insignificante risco de mudança de valor. Por conseguinte, um investimento, normalmente, se qualifica como equivalente  de caixa quando tem vencimento de curto prazo, por exemplo, três meses ou menos, a contar da data da contratação. Os investimentos em ações de outras entidades devem ser excluídos dos equivalentes de caixa a menos que eles sejam, em essência, um equivalente de caixa, como, por exemplo, nos casos de ações preferenciais resgatáveis que tenham prazo definido de resgate e cujo prazo atenda a definição de curto prazo. (NR) (Nova Redação dada pela Revisão CPC nº. 1, de 8/01/2010)".

Então, Caixa, engloba esses disponíveis e que precisam ser administrados de forma a manterem a liquidez da empresa e quem sabe ter dinheiro em caixa pra fazer um bom negócio a qualquer momento.

Dizer que dinheiro parado não rende todo mundo já sabe. No entanto, há vários motivos para justificar uma quantidade de dinheiro em Caixa, ou seja, pode ser que seja um total "X" pensando na solvência da empresa, já que no mínimo, haverá transações já esperadas, como aquelas correntes.

A empresa poderá também resolver a manter uma espécie de "reserva" em caixa, visando algo que possa não acontecer, como, por exemplo, algumas contas que tinha a receber. Além desses motivos, poderia também ser por algo ainda mais incerto e difícil de   prever, que seria uma mudança no mercado que pudesse lhe render mais.

No artigo Curto prazo – Aplicações e financiamento foi visto sobre o conflito entre Rentabilidade e Liquidez. A Administração financeira de curto prazo preza pela liquidez.

Por outro lado, se o dinheiro parado não rende, então, como fazer para tentar uma certa rentabilidade sem correr o risco da insolvência?

Caixa mínimo operacional (CMO)


Escapar de pagar as dívidas que se relacionam com as atividades operacionais da empresa é impossível.

Para não deixar faltar dinheiro naquelas contas do ativo visando a liquidez, deve-se calcular o Caixa Mínimo Operacional (valores mínimos mantidos para pagamentos). Mesmo não sendo algo que venha para salvar a a empresa da insolvência em qualquer que seja a situação, mas, poderá indicar qual deve ser o padrão de dinheiro a manter para a liquidez.

Para calcular esse valor mínimo, usamos a fórmula abaixo:

Caixa-mínimo-operacional-CMO

Esses valores a serem desembolsados devem ter base em históricos  de períodos passados dessas empresas, dando preferência àqueles mais recentes, por ter uma semelhança mais próxima do período atual.

Além desses valores de saídas observados de períodos passados para ter a nossa base, devemos também levar em consideração alguns outros fatores previstos para esse período que estamos adentrando.


caixa mínimo operacional - giro de caixa

Isso foi para o numerador dessa Equação acima. Já para denominador, devemos nos lembrar do artigo Ciclo operacional e ciclo financeiro que mostra como resolver essa equação da figura ao lado. Mas, o período é aquele que está avaliado, (mês, semestre, ano...).

Já o Ciclo Financeiro é obtido pela diferença entre pagamentos e recebimentos e pode também dizer que ele é o resultado do Ciclo operacional subtraído do Prazo médio de pagamento a fornecedores (PMPF).

Então, vamos a um exercício para aplicar o conhecimento:

Para esse exemplo vamos utilizar uma questão de um concurso de 2011 e adaptada para se adequar à pergunta.

Aplicada em: 2011
Banca: CESGRANRIO
Órgão: Transpetro
Prova: Administrador Júnior
Questão: Uma empresa, considerada como a maior fabricante de componentes eletrônicos para a indústria eletroeletrônica do país, publicou, em seu último balanço, as seguintes informações:

Vendas Anuais                                             = R$ 840.000,00
CMV                                                            = 65% das vendas
Prazo Médio de Recebimento de Vendas    = 27 dias
Prazo Médio dos Estoques                          = 30 dias
Prazo Médio de Pagamento                         = 45 dias
Patrimônio Líquido                                      = R$ 200.000,00
Ativo Não Circulante                                   = R$ 720.000,00
Passivo Não Circulante                                = R$ 940.000,00

Olhado para os dados acima, sabendo que precisamos de ter um desembolso nesse período que é de 360 dias, em um valor de R$ 700.000, qual deverá ser o nosso Caixa Mínimo Operacional (CMO)?

Resolução:

Para utilizar a fórmula para CMO devemos ter em seu denominador um outro dado, o Giro de caixa, mas, para esse GIRO de CX, conforme sua fórmula, precisaremos de saber qual o ciclo financeiro. Então, vamos encontrar esse Ciclo Financeiro.
Ciclo Operacional = PMRE + PMRV

Ciclo Financeiro = Ciclo operacional - PMPF
Ou
Ciclo Financeiro = PMRE + PMRV – PMPF

Onde:

  • CF = Ciclo Financeiro;
  • PMRE = prazo médio de rotação de estoques;
  • PMRV = prazo médio de recebimentos pelas vendas;
  • PMPF = prazo médio de pagamento a fornecedores.

Encontrando esses dados na questão acima:

CF = 30 + 27 – 45
Ciclo Financeiro = 12 dias

Com isso já podemos encontrar o Giro de CX.
Giro de CX = 360 / 12 = 30.

Ou seja, em 360 dias o o Caixa girou 30 vezes e já podemos usar esse valor para o CMO.

CMO = 700.000 / 30 = 23.333.33

Caso esse ciclo financeiro aumente, o Giro de CX diminui e consequentemente o CMO aumentará.

Por outro lado, se o Ciclo Financeiro diminuir, o Giro de CX aumenta e consequentemente irá diminuir a necessidade no CMO.

O Caixa Mínimo operacional acompanha o Ciclo Financeiro conforme esse aumente ou diminua. Já o Giro de CX cresce ou diminui de forma contrária ao Ciclo Financeiro.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Fico contente por você ter tirado proveito dessa postagem. Tudo de bom.

      Excluir
  2. Respostas
    1. É muito prazeroso saber que podemos sempre ajudar de alguma forma. Obrigado a ti, por retornar com seu comentário.

      Excluir

Postagens populares