Contabilidade e Matemática para Negócios e Concursos

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Financiamento a pagar de longo prazo Pós-fixado

A Contabilização para Financiamento a pagar de longo prazo pós-fixado é semelhante ao que foi visto no Empréstimo Pós fixado de curto prazo, tendo como sua principal característica o seu prazo, que excede o exercício social seguinte.

Por ser pós-fixado, seus encargos financeiros serão pagos numa data futura e somente depois de se determinar o indexador contratado que, por exemplo, pode ter base no IGPM e assim, sabermos qual a variação monetária daquele período.

Financiamento a pagar de longo prazo Pós-fixado

Financiamento a pagar de longo prazo Pós-fixado
Temos que lembrar também que, por esse empréstimo Pós-fixado de ser de longo prazo, vamos inicialmente registrá-lo no PASSIVO NÃO CIRCULANTE, mas, ao final do exercício social, logo na data do Balanço Patrimonial, podemos reclassificar para o PASSIVO CIRCULANTE aquela parte que vamos pagar até o final do exercício seguinte, ou seja, o valor referente àquelas parcelas dos próximos 12 meses.

Vamos fazer um exemplo:

A empresa M O Contabilidade visando obter capital de giro contrai um empréstimo a pagar. A data da operação foi no dia 30/11/2012 ao valor de R$ 15.000,00 observando uma taxa de juros de 1% ao mês. No acordo ficou certo que a variação monetária teria como base o indexador IGPM.

Então começam-se os lançamentos.

Pela liberação do empréstimo na conta:

  • D – Conta Banco ------------------------------------- 15.000
  • C – Empréstimo a pagar de longo prazo -------15.000
Transcorrido 1 mês, ficamos sabendo que a variação do IGPM para aquele mês foi de 1,7% e passamos a calcular os encargos desse primeiro mês.

Primeiramente a taxa da variação de 1,7% que atualiza o capital, é aplicada sobre o principal. Já o resultado, juntamente com o principal (= montante) será usado para cálculos dos juros e assim encontrar o valor total dos encargos financeiros do período.

Variação monetária do mêsDespesas com juros do mês
15.000 * 0,017 = 25515.255 * 0,01 = 152,55
Encargos totais do mês = R$ 407,55.
Pela a apropriação dos encargos:
  • D – Despesas com juros -----------------------152,55
  • D - Variação monetária passiva --------------255,00
  • C - Financiamento a pagar de longo prazo -- 407,55
Vejamos o pagamento da primeira parcela. No dia 30 de dezembro de 2012 a parcela será paga.

A parcela será a seguinte: como eram 15.000 na conta Financiamento a pagar e a esta foi creditada com mais os encargos do mês, elevou-se para 15.407,55. Esse valor deve ser dividido pelo número de parcelas, que no caso, ainda há as 36 parcelas. Então, 15.407,55 /  36 = 427,98.

Lançamentos:

D – Financiamento a pagar de longo prazo ----427,98
C – Conta Banco -----------------------------------427,98

Atenção! Assim como no pre-fixado, no pós-fixado de longo prazo, a empresa também deve na data do Balanço Patrimonial, reclassificar para o curto prazo aquelas parcelas vencíveis até o final do exercício seguinte, por exemplo:

Como o financiamento foi feito no dia 30/11/2012, quando for no dia 31/12/2012 a empresa deve reclassificar para o PASSIVO CIRCULANTE o total de R$ 5.135,76 , ou seja, 427,98 * 12 (12 meses do ano de 2.013).

Veja os registros do lançamento de reclassificação:

  • D - Financiamento a pagar de longo prazo --------- 5.135,76
  • C - financiamento a pagar (Passivo Circulante) --- 5.135,76
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Postagens populares