Contabilidade e Matemática para Negócios e Concursos

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Aplicações Financeiras pre-fixadas

As Operações Financeiras são aquelas realizadas pelas empresas com o intuito de evitar recursos ociosos, aplicando-os na gestão do disponível (gestão de caixa) ou também, é uma forma operar quando da obtenção de recursos financeiros de terceiros, objetivando-se a financiar as atividades operacionais (capital de giro para pagamentos, contratação de serviços, etc.) e ainda, financiamentos de investimentos na infra-estrutura do empreendimento ou outras aplicações de interesse da organização.

Dentre muitas modalidades das operações financeiras, destacam-se:

  • Aplicações Financeiras;
  • Empréstimos e Financiamentos Bancários;
  • Desconto de Duplicatas;
  • Factoring.

Operações financeiras


Aplicações de Liquidez Imediata 

Correspondem a compras de títulos bancários e do governo (ex.: CDBs, RDBs), Fundos, Poupança, Letras e Bônus do Tesouro ou do Banco Central, etc..
Quanto aos títulos que têm liquidez imediata, o seu resgate, incluindo os rendimentos, podem ser feitos quando desejar, observando se a maturação da aplicação foi atingida, ou seja, o dia de incorrer os juros sobre a aplicação.

Esses rendimentos correspondem à inflação verificada no período de aplicação do dinheiro e, geralmente baseia-se na variação dos títulos do governo ou IGP, mais juros transcorridos no período da aplicação.

Aplicações com Rendimentos Pre-fixados 

No mesmo dia da aplicação já sabemos de quanto serão os rendimentos que correspondem à correção monetária prefixada mais juros.
Tratamento Contábil:

  • Aplicação: Aplicações Financeiras (Circulante)
  • Juros: Receita Financeira (Receita Financeira – Juros Recebidos de Aplicações)
  • Correção: Correção Monetária (Receita Financeira – Correção Monetária de Aplicações).

Vejamos um exemplo dessa aplicação:

Supondo que a Cia M Oliveira Contabilidade tenha em sua Conta Banco Movimento a quantia de R$300.000,00 e resolva ir ao Banco e aplicar R$200.000 em CDB pre-fixado por dois meses e que seu rendimento mensal seja de 1% ao mês, conforme discriminado:

0,8% de juros ao mês e correção prefixada de 0,2% ao mês. (considerando que não houve outras movimentações).

(1) No momento da aplicação, ficou da seguinte maneira: a Conta banco Movimento que tinha um saldo inicial de R$300.000,00, ficou com R$ 100.000, após a retirada de R$200.000,00 e aplicados em CDB, surgimento dessa aplicação em CDB, o seguinte lançamento contábil na empresa:

D - Aplicações financeiras de liquidez imediata
C - Conta Banco Movimento -------200.000,00

Operações financeiras

Ambas as contas acima são do Ativo Circulante. Assim, percebemos uma permuta.

(2) Transcorrido o primeiro mês, nossa aplicação começa a ser remunerada:

Fórmula de juros simples => J = CiT/100.

C = Capital;
i = taxa;
T = tempo.

  • Juros = 200.000 * 0,8/100 = 1.600;
  • Correção Monetária = 200.000 * 0,2/100 = 400.

D - Aplic. financeiras de liquidez imediata ------2.000,00
C - Receita s/ aplic. financ. (juros) --------------1.600,00
C - Receita s/ aplic. financ. (corr. monetária) ----400,00

Operações financeiras-1

Percebemos que os dois débitos aumentando a aplicação (ativo) correspondem aos dois créditos (conta de resultado). Mas lembrando que essa é uma contabilização feita internamente na empresa conforme se dar o andamento da aplicação lá na Instituição financeira onde foi feita a aplicação.

Caso fosse uma operação pós-fixada e onde houvesse a incidência de IRRF, esse seria verificado no momento do resgate e contabilizado como despesa financeira, sendo sua base de cálculo, o rendimento após a dedução de IOF. (Será visto mais na frente)

(3) Transcorrido o segundo mês. Os juros desta vez incindirão sobre aquele saldo final da aplicação no período anterior , pois, já se alterou após a remunerado no primeiro mês e que agente verificou com o lançamento 2, passando o valor do investimento, de R$ 200.000 para R$ 202.000.

  • Juros = 202.000 x 0,8/100 = 1.616;
  • Correção Monetária = 202.000 x 0,2/100 = 404.

D - Aplic. financeiras de liquidez imediata -----2.020,00
C - Receita s/ aplic. financ. (juros) ---------------1.616,00
C - Receita s/ aplic. financ. (corr. monetária) ----404,00

Operações financeiras-2

Veja que no saldo inicial para esse período, a aplicação já constava R$ 202.000, que foi o saldo final do período anterior.

(4) Chega o momento do resgate do CDB ao final do segundo mês da aplicação que, será o dinheiro que a empresa aplicou mais a remuneração dos dois meses:

C- Aplicações financeiras de liquidez imediata
D - Conta Banco Movimento ------204.020,00

Operações financeiras-3

Observe que após o final do tempo de aplicação, tivemos que zerar a conta aplicação financeira, creditando o seu valor no lado direito para igualharmos o valor e zerando-a e, transferindo seu valor para a Conta Banco Movimento. É como se disséssemos à Instituição bancária que fizesse o crédito na conta da empresa. Na contabilização lá na nossa empresa, desse crédito que a instituição financeira fez para nós, fazemos um lançamo a débito nos nossos ATIVOS. (aquilo que está entrando no nosso ATIVO).

Mais à frente, em operações como estas, trabalharemos também com os impostos que incidem sobre ela.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Postagens populares